EAD quebra barreiras geográficas e traz inclusão social

A educação à distância diminui distâncias e diferenças

O EAD é responsável por quebrar barreiras geográficas e unir os mais diversos tipos de perfis de estudantes. É o que diz  um estudo realizado no ano de 2018, conduzido pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes)

Atualmente, o Brasil conta com aproximadamente 15 mil polos de EAD de ensino superior privados e públicos. Sem dúvidas, o ensino à distância está promovendo uma enorme revolução em relação à democratização e amplificação do conhecimento.

Ainda de acordo com o levantamento da Abmes, o público do EAD possui idade mais avançada, quando comparado ao público do ensino presencial: 38% dos estudantes à distância têm de 31 a 40 anos e 29% têm acima de 40. A maioria deles, 82%, já está no mercado de trabalho.

Alunos de faixa etária mais avançada e mulheres são predominantes no EAD

Outro dado interessante é que 62% dos alunos do EAD são mulheres. O curso superior de EAD com mais ingressantes, de acordo com o último Censo da Educação Superior, é o de Pedagogia, que conta com quase 190 mil estudantes matriculados.

Pelas inúmeras vantagens que a educação à distância vem demonstrando, o EAD cresce ano a ano.

Conforme dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) , 42,3% dos estudantes presenciais que fizeram o Enade em 2017 não trabalhavam. Já entre os estudantes do EAD, 46,6% trabalhavam 40 horas por semana ou mais.

O último relatório apurado no ano de 2017, também mostrou um crescimento do EAD de 17,6% apenas entre os anos de 2016 e 2017, que foi o maior desde 2008. 

Fatores como o reconhecimento dos cursos EAD pelo mercado, mensalidades com valores mais razoáveis e a possibilidade de conseguir ajustar os estudos à rotina de trabalho e vida pessoal, são fatores que alavancam o crescimento do segmento.

O EAD também promove inclusão social

Outra função fundamental da educação à distância é a ampliação do acesso ao ensino. Os polos de estudo podem também servir de alternativa até para os estudantes que não possuam acesso à Internet.

O aluno do EAD pode tanto estudar em casa como ter encontros presenciais, provas e atividades de laboratório nos polos das instituições de ensino. Isso faz com que vantagens da interação presencial também façam parte das metodologias à distância

O EAD também é responsável por promover o acesso à educação entre pessoas com necessidades especiais, e driblar as dificuldade de locomoção. 

Tanto os moradores de grandes centros urbanos, como aqueles de cidades pequenas onde se precisa percorrer grandes distâncias para chegar à uma instituição de ensino, podem se beneficiar com as possibilidades do EAD.

Fatores como trânsito, falta de transporte ou distâncias longas de pequenos municípios até as metrópoles são problemas que o EAD está ajudando a solucionar.

A tecnologia está ajudando a diminuir limitações para que alunos dos mais diversos perfis e localidades possam ter acesso aos mesmos níveis e qualidade de ensino.

Não deixe de acompanhar nosso blog e saiba tudo sobre EAD, marketing e comunicação.

 

Compartilhe esta notícia

  • Escola de Comunicações e Artes

    Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo
    A Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo ou (ECA-USP) é uma instituição pública de ensino superior localizada na cidade de São Paulo. Como parte da Universidade de São Paulo (USP), é considerada uma unidade de ensino, pesquisa e extensão. A ECA foi fundada em 15 de junho de 1966, e hoje é formada por oito departamentos. Oferece 21 cursos de graduação, sendo 13 deles da área de Artes e 8 voltados às comunicações.

Contato

(11) 3091-1584

(11) 3091-1584

  • endereço: Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 443 – Cidade Universitária CEP 05508-020 – São Paulo

  • email: [email protected]

Siga-nos